CUIDADO! Vai usar o Pix? Não faça isso de maneira alguma!

Usar o Pix pode ser algo perigoso, se você for leigo sobre o assunto, então esse texto vai apresentar informações fundamentais sobre o mesmo. Assim, você pode ficar mais consciente, permitindo utilizá-lo de maneira mais segura, tornando-o experiente contra possíveis golpes que possam vir a ocorrer. Mesmo pessoas que já estão usando o Pix, podem não saber tudo sobre ele, então recomendo ler as informações apresentadas abaixo.

O Brasil começou recentemente a utilizar uma nova forma de transações. Desse modo, é possível usar o Pix como meio de realizar pagamentos e recebimentos de valores. Isso deixou todos muitos entusiasmados, uma vez que você consegue fazer isso sem pagar taxas que sempre nos afetaram. Mas, toda novidade traz perigos e usar o Pix não é diferente.

O que é Pix?

Pix é um novo meio de pagamento eletrônico do Brasil, tendo sido lançado em 5 de outubro de 2020, ele só passou a funcionar integralmente no mês seguinte. Suas chaves de transação podem ser cadastradas utilizando diversas informações, como telefone, CPF, e-mail, entre outros. Essa novidade fez com que em pouco tempo o novo meio de pagamento já fosse bastante disseminado.

Coisas que você não deve fazer ao usar o Pix

É importante na vida agir de maneira segura para evitar maiores complicações que possam vir a ocorrer derivada de nossas ações. E em relação ao Pix, isso não é diferente, você precisa tomar certos cuidados quando utilizá-lo. Por isso, fizemos a lista de erros que não se deve cometer quando vai usar o sistema.

1.     Fazer operações fora do aplicativo do banco

Existem certas medidas de segurança que devem ser tomadas para que você não se exponha a perigos. Uma dessas medidas é realizar todos os procedimentos do Pix com o usuário logado na plataforma do banco ou instituição financeira correspondente. Isso deve ser feito desde o momento em que você vai cadastrar as chaves até o pagamento.

Basicamente, sempre existe a necessidade de realizar as ações de pagamento ou cadastro de chaves pelo aplicativo. Portanto, se alguma hora você receber uma página externa da web ou app de terceiros para cadastro ou pagamento, não forneça as informações de login e senha, pois existe a grande possibilidade de fraude, e você perder seu dinheiro.

2.     Informar dados do cartão de crédito

Não existe nenhuma relação entre o código Pix e cartões de crédito ou débito. Por isso, se esse tipo de informação for solicitada, tem uma grande possibilidade de ser uma fraude, com objetivo de clonar o seu cartão. Então, o único dado que você precisa fornecer para realizar uma transferência é a sua chave cadastrada.

Dessa forma, se solicitarem senhas e informações sobre internet banking ou do seu cartão, não informe e saia do site ou do local. E se informe melhor sobre a empresa que requerer tal informação.

3.     Usar o Pix com QR Codes desconhecidos

Existem muitas pessoas má intencionadas pelo mundo. E acabaram criando QR Code maliciosos que quando escaneados podem baixar malwares ou lhe redirecionar para páginas capazes de coletar seus dados. Por isso, veja de onde esse QR Code surgiu antes de escanear, prestando atenção nos nomes e o valor que tem a receber.

Códigos de barras também merecem a mesma atenção, segundo o Banco Central o recomendado é que as faturas apresentem duas formas diferentes de pagamento. O mais tradicional é código de barras para os boletos, além de um QR Code específico para o Pix. O que daria uma maior segurança ao devedor, e mais formas de realizar o pagamento.

4.     Pagar por transações

Pessoas físicas possuem a possibilidade de realizar até 30 transações pelo Pix isentas de cobrança de tarifas mensalmente. Por isso, a importância de utilizá-las com sabedoria, uma vez estourando esse limite você terá pequenos valores cobrados pela empresa responsável.

pessoas jurídicas são cobradas sempre que utilizarem o Pix, pois os gastos precisam ser cobertos por alguma parte da sociedade, então acabam optando por quem movimenta mais dinheiro. Em caso da sua instituição ter realizado uma cobrança indevida, é fundamental contestar para ter o dinheiro de volta.

5.     Cadastrar a mesma chave em bancos diferentes

Não é possível utilizar a mesma chave por duas instituições financeiras diferentes. Ou seja, se você cadastrou o seu telefone celular como chave em um banco, para usar em outro é necessário cadastrar outra informação, como CPF, endereço de e-mail, ou um código aleatório.

No entanto, caso você tenha cadastrado por acidente a mesma chave em 2 bancos, o Pix lhe permite fazer a portabilidade de chaves entre as contas, assim evitando maiores complicações.

É bom usar o Pix?

Esse novo método de pagamento onde você vai usar o Pix, é uma maneira interessante de se realizar pagamento e recebê-los também. Você acaba economizando algum dinheiro na hora das taxas que não precisam ser pagas. O que lhe permite a longo prazo gastar em coisas mais interessantes e benéficas a você.