Dicas financeiras atualizadas

Governo anuncia corte de gastos de R$ 2,63 bi em 2022

Medida pode afetar emendas parlamentares, conhecidas como orçamento secreto e duramente criticadas nos últimos meses.

Nesta quinta-feira (22), pouco mais de uma semana antes das eleições, o governo federal anunciou um bloqueio de gastos bem grande. De acordo com as informações, o governo vai bloquear R$ 2,63 bilhões no orçamento ainda de 2022. Esse anúncio ocorre depois da aprovação, liberação e veiculação de uma série de benefícios que compõem o pacote de bondades, conhecido como PEC Kamikaze. Ela liberou o Auxílio Taxista, o Pix Caminhoneiro e o acréscimo de R$ 200 no Auxílio Brasil.

- Publicidade -

Medida pode afetar emendas parlamentares, conhecidas como orçamento secreto e duramente criticadas nos últimos meses.
Medida pode afetar emendas parlamentares, conhecidas como orçamento secreto e duramente criticadas nos últimos meses – Agência Brasil.

Bloqueio pode reverter liberação de emendas do governo?

O contingenciamento de gastos bilionário foi divulgado por meio de relatório de receitas e despesas do orçamento 2022. O objetivo dele é cumprir a norma que estabelece o teto de gastos para não comprometer a inflação do ano anterior.

Apenas no final do mês o governo deve esclarecer quais serão as áreas afetadas pelo limite financeiro. Alguns especialistas analisam que a medida pode cortar emendas parlamentares feitas nas últimas semanas. Seria uma forma de reverter essas emendas – dinheiro enviado ao poder legislativo para distribuição nos estados.

- Publicidade -

Segundo as informações do Ministério da Economia, o governo deve comprometer apenas as despesas livres. Essas despesas livres estão diretamente ligadas às emendas citadas aqui, que foram conhecidas também como “orçamento secreto”. A medida chegou a causar controvérsia, por soar como uma espécie de compra de apoio parlamentar.

Veja também: Governo pode antecipar pagamento de outubro do Auxílio Brasil? Entenda agora

Previdência também aumentou os gastos

Ainda segundo o Ministério da Economia, houve um aumento nos gastos previstos relacionados ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). Neste sentido, o governo precisa despender cerca de R$ 5,6 bilhões, quantia que surpreendeu o governo.

- Publicidade -

“De forma até surpreendente, teve crescimento das despesas obrigatórias que não esperava. Em compensação, teve redução da fila [do Instituto Nacional do Seguro Social] que levou à maior concessão de benefícios”, declarou o secretário especial do Tesouro e Orçamento do Ministério da Economia, Esteves Colnago, à imprensa.

Por hora, é preciso esperar para saber quais serão os reais impactos da medida do governo na política e na economia nacional.

Veja também: Sem ilusão! Consignado do Auxílio Brasil em 2022 é pouco provável

Comentários estão fechados.